Posts

O açafrão ou Cúrcuma é uma planta medicinal que cresce nos países tropicais com características singulares, chega a 90 cm. de altura, apresenta um caule alongado e folhas grandes com 30 a 40 cm de comprimento, os belos rizomas medicinais se destacam, quando a erva é retirada do solo, com uma cor alaranjada, formato cilíndrico e 2 a 6 cm de comprimento. Possui uma mistura dos sabores amargo e picante, sua fragrância é aromática e temperada.  Em sânscrito é chamada de haridra que significa aquela que melhora a compleição da pele  pois tem ótimos resultados em dermatologia. A planta medicinal tem uma poderosa ação antioxidante e depuradora. Destaca-se na culinária indiana e nos festivais hindus há muitas centenas de anos.

Um importante principio ativo da Cúrcuma é a curcumina que não é facilmente absorvido pelo organismo porem a piperina encontrada na pimenta do reino facilita a sua absorção..Tanto o açafrão como a pimenta do reino estão presentes nas misturas do curry em pó e estudos realizados por epidemiologistas indicam que na Índia, onde o curry é muito utilizado na dieta cotidiana, as taxas de doença de Alzheimer estão entre as mais baixas do planeta. A hipótese dos pesquisadores é que as propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias presentes nas misturas de condimentos com cúrcuma e pimenta do reino são fatores relevantes na prevenção do Alzheimer. Por esta razão, a curcumina, tem sido utilizada nas pesquisas cientificas realizadas nesta doença, cada vez mais comum no ocidente.

Nos últimos anos mais de 300 artigos científicos mencionam a curcumina, segundo estas pesquisas, este principio ativo do açafrão, e seus compostos relacionados, os chamados curcuminoides,  apresentam as seguintes propriedades: antioxidante, anti-inflamatória, antiviral, antifúngica, antisséptica, com atividade contra Alzheimer, Parkinson, câncer, diabetes, alergias, artrites, auxilia no tratamento do aumento do colesterol, doenças autoimunes e cardiovasculares. O Centro de Câncer M.D. Anderson da Universidade do Texas, líder mundial em pesquisas sobre a doença, recomenda que os pacientes  adotem, de forma gradual, uma dose de 8 gramas de curcumina ao dia, o que é cerca de 40 vezes a quantidade presente na dieta indiana.  O pesquisador

indiano Bharat Aggarwal, do M.D. Anderson, foi questionado por possíveis efeitos colaterais, e declarou que ensaios clínicos menores, de outras instituições, ministram até 12 gramas e se houvesse qualquer efeito desfavorável os pacientes teriam notado.

O médico indiano Deepak Chopra no seu recente livro “ Você Tem Fome De Quê ?” coloca alguns importantes usos e efeitos terapêuticos da planta medicinal: A Cúrcuma tem efeito protetor sobre o fígado e ajuda a reduzir os níveis de colesterol elevado no sangue, já nos tratamentos de artrite ajuda a diminuir a dor e rigidez, porem estudos em animais demonstrou que o açafrão pode diminuir ou inibir o desenvolvimento de células cancerígenas, apresenta efeito calmante na digestão e reduz o risco de ulceras e por ultimo, como antibiótico natural, ele pode inibir o desenvolvimento de bactérias, leveduras e vírus em laboratório. ( ver Chopra, Você Tem Fome De Que ?, p. 127).

Uma planta medicinal para ser utilizada no Ayurveda deve, necessariamente, ser interpretada pela farmacologia indiana ou Dravya Guna. Nesta ciência, o açafrão, tem sabores amargo, picante e adstringente, potencia quente, equilibra os 3 Doshas ( humores biológicos) e beneficia todos os tecidos. Apresenta as seguintes ações: digestivo, anti-inflamatório, depurador do sangue, antibiótico, antialérgico, anti-anemico, anti-diabético, hepatoprotetor, remove doenças de pele, beneficia a mama, anti-tumoral, trata doenças respiratórias, antioxidante, melhora o fogo digestivo ( jatharagni) e beneficia a função ginecológica.

Devido as suas importantes propriedades apresenta as seguintes indicações na Medicina Ayurvedica: distúrbios do fígado, reumatismo, doenças de pele, diabetes, anemia, gastrite, endometriose, corrimento, colite, asma, bronquite e aumento do colesterol no sangue. Externamente é usado em dermatites, eczemas e psoríase. Na Europa foi aprovado pela comissão E alemã nos seguintes distúrbios: dispepsia ( má digestão) e perda de apetite. A dose diária é de 1 a 3 gramas do pó seco, que pode ser misturado no mel ou fervido no leite orgânico ( leite medicado). Porem seu uso deve ser evitado na gravidez, agravação importante do dosha Pitta ( fogo) e obstrução biliar.

A mensagem do Ayurveda é que podemos utilizar o poder terapêutico dos condimentos, como açafrão, gengibre, alho, canela, noz moscada, hortelã, coentro e cominho para melhorar nossa digestão e absorção dos alimentos, prevenir a formação de toxinas no tubo digestivo ou Ama e beneficiar a nossa saúde como um todo. A sabedoria ayurvedica recomenda o uso dos 6 sabores na dieta e podemos alcançar esta meta utilizando os temperos, de forma moderada, em um programa de alimentação natural e saudável ao fazermos escolhas mais simples e inteligentes.

Para fazer a seleção dos alimentos que serão favoráveis a esta ou àquela constituição, alguns aspectos devem ser levados em conta: suas características naturais, o modo de preparo e a quantidade a ser ingerida, como combinar estes alimentos, o clima e, obviamente, a própria constituição da pessoa que come. A tradição ayurvédica diz que só é possível construir tecidos saudáveis a partir de alimentos saudáveis. Para isso teríamos que ter nosso próprio cultivo de alimentos, o que é impossível hoje em dia! Assim, o papel de quem cozinha ganha uma poética importância: como um alquimista, o cozinheiro deve extrair a essência dos alimentos, transmitindo a eles o seu amor, que será absorvido energeticamente por quem come.

imagem 2

O Ayurveda ensina que cada ser humano tem a capacidade de curar a si mesmo e manter a sua saúde através de uma alimentação equilibrada e de uma rotina diária com hábitos saudáveis. Um antigo ditado diz que nós somos o que comemos; o Ayurveda poderia ir um pouco mais além dizendo nós somos o que conseguimos digerir, já que nem tudo o que comemos consegue ser metabolizado de maneira adequada para ser posteriormente incorporado às nossas células corporais. Esta colocação confere uma grande importância à capacidade digestiva de cada um; a qualidade digestiva, ou seja, o força do Agni (fogo digestivo) reflete a saúde de uma pessoa, segundo o Ayurveda.

Daí a importância de sermos seletivos, de estarmos atentos ao que comemos, como, quanto e porque comemos: o simples ato de controlar nossa alimentação nos proporciona a disciplina necessária para controlar muitos outros aspectos de nosso comportamento.

A Medicina Ayurvédica recomenda uma dieta individualizada de acordo com a constituição básica de cada ser humano. Na Índia, é tradicional o jejum 2 vezes por mês para todas as pessoas, às vezes até uma vez por semana, e consiste em passar um dia apenas com um tipo de alimento ou bebida, ou somente a água. O jejum um meio de purificar o corpo, oferecer descanso aos órgãos digestivos, restaurar o paladar e ajudar a controlar o vício por determinados alimentos.
Os Seis Sabores
“O elemento Água é a base para a experiência sensorial do paladar; a língua precisa estar molhada para sentir o sabor de uma substância.”

Dr. Vasant Lad
Existem seis sabores: doce, ácido, amargo, salgado, picante e adstringente. O sabor doce contém os elementos Terra e Água; o ácido, Terra e Fogo; o salgado, Água e Fogo. O sabor picante contém Fogo e Ar; a amargo, Ar e Éter e o adstringente, Ar e Terra.

O sabor é uma qualidade de toda substância. Cada substância pode ter um ou mais sabores, que se tornam conhecidos quando a substância é colocada na língua. O primeiro sabor claramente identificado é conhecido como sabor primário e os restantes, reconhecidos mais tarde, são secundários, em geral mais suaves.
Doce, ácido e salgado são sabores que diminuem Vata e aumentam Kapha.
Picante, amargo e adstringente diminuem Kapha e aumentam Vata.
Ácido, salgado e picante aumentam Pitta.
Doce, amargo e adstringente diminuem Pitta.
Com o sentido do gosto, nós interagimos com os alimentos que comemos. Cada gosto ou sabor afeta o corpo e a mente de formas diferentes. Cada um deles tem seus benefícios e até malefícios, se utilizados em excesso. O sabor doce, por exemplo, é muito nutritivo, constrói os tecidos, aumenta a força, mas quando em excesso leva ao ganho excessivo de peso, à preguiça mental, ao diabetes e outras complicações.

Em Ayurveda nós não contamos calorias, gramas de gordura ou índice de colesterol do alimento. Numa perspectiva ayurvédica devemos aprender quais sabores são bons pra nós, assim poderemos comer alimentos que estejam em harmonia com nossa constituição e o corpo responderá com saúde. Alguns se beneficiam do alimento quente e condimentado, enquanto outros se sentem melhor com uma alimentação mas leve e fria. Há pessoas que beneficiam-se da carne, enquanto outras produzem melhor sendo vegetarianas. O mais importante de tudo é saber identificar, de acordo com nossa natureza básica, que tipo de alimento devemos comer e quais devemos evitar, para manter o equilíbrio em nossa saúde.

Basicamente, o Ayurveda é uma medicina preventiva, embora seja também curativa. O Ayurveda ensina, através de sua sabedoria simples, como aperfeiçoar nossa natureza original, sendo possível para qualquer pessoa adquirir o conhecimento prático para se manter saudável.

Propriedades gerais dos sabores

Em geral, as substâncias de sabor doce causam aumento de Kapha, exceto arroz envelhecido (mais
de um ano) e cevada (Hordeum vulgare), trigo (Triticum vulgare), mel, açúcar e carne de
animais de terras áridas (como o deserto). As substâncias de gosto ácido/azedo aumentam
Pitta e os sais são ruins para a visão, exceto o sal mineral (sal de rocha). Os sabores
amargo e picante são não-afrodisíacos e aumentam Vata, exceto Zinziber officinalis (gengibre), Piper longum (pimenta), Piper nigrum (pimenta preta) e Allium sativum (alho).

FRIO/QUENTE
Geralmente os adstringentes são de potência fria e são obstrutivos. O picante, o ácido e o salgado
são de potência quente, cada um mais do que o outro, nesta ordem; do mesmo modo, o amargo, o adstringente e o doce são de potência fria e cada um mais do que o outro, nesta ordem.

SECO / OLEOSO
Substâncias de sabor amargo, picante e adstringente são secas e causam constipação – cada um
mais do que o outro, nesta ordem, enquanto que o salgado, o ácido e o doce são gordurosos e
ajudam a eliminar as fezes, urina e flatos, cada um mais do que o outro, nesta ordem.

LEVE / PESADO
Os sabores salgado, o adstringente e o doce são pesados e não são facilmente digeríveis, um mais
do que o outro, nesta ordem, enquanto que o ácido, o picante e o amargo são leves e de fácil
digestão, também um mais do que o outro, nesta ordem.

Ações do sabor doce (Madhura Rasa Karma)

Acostumando-se a este sabor desde o nascimento, ele produz grande força nos tecidos (dhatus), é muito valioso para as crianças, idosos, feridos, emaciados; é bom para a pele (cor), cabelos, órgãos dos sentidos e a essência das sete categorias dos elementos dos tecidos é chamada Ojas, que é responsável pela força e vitalidade do corpo. É bom para a garganta, aumenta a produção do leite (no peito), une fraturas dos ossos, etc.; não é de fácil digestão, prolonga a vida, ajuda nas atividades da vida; é oleoso, acalma Pitta, Vata e veneno (Visha). O uso excessivo causa doenças devido à gordura e Kapha, obesidade, dispepsia, inconsciência, diabetes, aumento das glândulas do pescoço, etc., tumores malignos (câncer) e outras doenças.

Ações do sabor ácido ou azedo (Amla Rasa Karma)

Este sabor estimula a atividade digestiva (Agni), é gorduroso, bom para o coração, digestivo, estimulante do apetite, de potência quente, frio ao tato (refrescante em aplicações externas, alivia a sensação de queimação), sacia, causa umidificação, é de fácil digestão, aumenta Kapha, Pitta e o sangue (Asra) e faz o inativo Vata se mover para baixo. Usado em excesso causa flacidez do corpo, perda de força, cegueira, tonteira, coceira (irritação), palidez (descoloração amarelo-esbranquiçada como na anemia), herpes, inchaços, varíola, sede e febre.

Ações do sabor salgado (Lavana Rasa Karma)

Este sabor remove a rigidez, limpa as obstruções dos canais e poros, aumenta a atividade digestiva, lubrifica, causa sudorese, penetra nos tecidos, melhora o sabor, causa lacerações e erupções (de tecidos, novo crescimento, abscessos, etc.). Usado em excesso causa aumento de sangue (Asra) e Vata, causa calvície, embranquecimento do cabelo, rugas na pele, secura, doenças da pele, herpes (Visarpa) e diminuição da força do corpo.

Ações do sabor amargo (Tikta Rasa Karma)

Este sabor em si não é apreciado. Ele age na anorexia, vermes (bactérias, parasitas, etc.), perda de consciência, febre, náusea, sensação de queimação, acalma Pitta e Kapha, seca a umidade, gordura, gordura do músculo, medula, fezes e urina é facilmente digerível, aumenta a inteligência, frio na potência, causa secura, limpa o leite do peito e a garganta. Usado em excesso, causa depleção dos tecidos (dhatus) e doenças de origem Vata.

Ações do sabor picante (Katu Rasa Karma)

Este sabor cura doenças da garganta, erupções alérgicas, hidropsia e outras doenças da pele.

Alasaka (um tipo de indigestão), inchaço (edema); reduz o inchaço de úlceras, seca a gordura e umidade, aumenta a fome, é digestivo, melhora o paladar, elimina os doshas, seca a umidade da comida, rompe massas duras, dilata (expande) os canais e alivia Kapha aumentado.

Usado em excesso ele causa secura, depleção do esperma (Sukra ou elemento de reprodução e de força), causa desmaio, tremores e dores na cintura, nas costas, etc.

Ações do sabor adstringente (Kashaya Rasa Karma)

Este sabor alivia Pitta aumentado e Kapha; não é facilmente digerível; limpa o sangue, causa compressão e cicatrização de úlceras (feridas), de potência fria, seca a umidade e a gordura, etarda a digestão de comidas indigestas, absorve água, causando constipação; causa secura e  limpa muito a pele. Seu uso excessivo causa a permanência da comida sem digestão, flatulência, dor na região do coração, secura, emaciação, perda de virilidade, obstrução dos canais e constipação.

  Soppis · Vieraskirja

Como funciona esse tipo de alimentação?

O Ayurveda é uma filosofia médica que exige um diagnóstico prévio do desequilíbrio do paciente. No Ayurveda nós fazemos a leitura do desequilíbrio dos Doshas ou humores biológicos. O Dosha Vata é composto por Ar e Éter, o Dosha Pitta por fogo e água e Kapha apresenta Terra e Água. Cada desequilíbrio terá uma dieta individualizada. Vata é seco, frio e leve, Pitta é médio, oleoso e quente e Kapha é frio, pesado e oleoso

Quais são os alimentos indicados?

Para o desequilíbrio de Vata ( Ar e Éter ) indicamos uma alimentação quente, nutridora e oleosa. No caso de Pitta em desarmonia indicamos uma dieta nutridora, fria e seca e em Kapha está indicado os alimentos leves, secos e quentes

Qual o diferencial dessa alimentação?

No Ayurveda digestão é mais importante que nutrição. O Fogo Digestivo ou as enzimas digestivas são fundamentais para nossa saúde. Nesta visão não adianta fazer uma dieta equlibrada se a nossa função digestiva não funcionar adequadamente. Utilizamos as plantas medicinais digestivas como : gengibre, pimenta do reino, funcho e açafrão para melhrar o fogo digestivo e promover a função disgestória.

Quais são os benefícios para o corpo?

O Ayurveda equilíbra o sistema corpo-mente-emoções através de uma rotina diária de hábitos saudáveis: dieta equilibrada, fitoterapia, atividade física, yoga, meditação, terapías depuradoras e massoterapia com óleos vegetais são ferramentas terapêuticas desta Medicina Oriental.

Como equilibrar os nutrientes?

A alimentação depende do desequilíbrio dos Doshas que são expresssões fisiológicas dos 5 elementos da natureza: Ar, Éter, Fogo, Água e Terra. NO site www.ayurveda.com.br existe um questionário de desequilíbrio dos Doshas que o internauta pode responder e ter uma idéia de seu desequilíbrio na visão desta filosofia médica indiana.

Existe algum tipo de restrição?

Claro, as restrições dependem do seu desequilíbrio. No site www.ayurveda.com.br temos os alimentos específicos para cada Dosha, aquilo que se deve priorizar e o que se deve reduzir e acordo com a nossa desarmonia atual.

ALIMENTOS QUE DEVEM SER PRIORIZADOS
FRUTAS: laranja, banana, pera, pêssego, ameixa, limão morango, abacaxi, manga, figo, mamão, abacate.
VEGETAIS: batata, tomate, berinjela, ervilha, batata doce, cenoura, cebola cozida, abóbora, alcachofra, agrião, rabanete.
CEREAIS & FEIJÕES: aveia, arroz integral, trigo integral, tofu (queijo de soja ).
SEMENTES e OLEAGINOSAS: côco, semente de girassol, semente de abóbora, semente de gergelim, castanha, avelã, amêndoa, nozes.
LATICíNIOS: queijo, leite desnatado, yogurt, manteiga, ghee (manteiga clarificada)
ALIMENTOS DE ORIGEM ANIMAL: frango, peru, peixes, frutos do mar
ÓLEOS: óleo de coco, óleo de mostarda, azeite de oliva, ghee (manteiga clarificada), óleo de gergelim
ADOÇANTES: frutose, mel, melado, açúcar mascavo, rapadura
CONDIMENTOS: hortelã, pimenta do reino (moderadamente), gengibre, coentro, cominho, cravo, canela, feno grego, alho, cardamomo, assafétida, erva doce, noz moscada e mostarda.

ALIMENTOS QUE DEVEM SER REDUZIDOS OU EVITADOS
FRUTAS: maçã, melão e frutas secas
VEGETAIS: couve-flor, pepino, aspargo, espinafre, aipo, cogumelo, alface, brócolis, brotos
CEREIAIS & FEIJÕES: milho, trigo sarraceno, painço, granola, feijões, lentilha, ervilha
SEMENTES & OLEAGINOSAS: nenhuma
LATICíNIOS: nata
ALIMENTOS DE ORIGEM ANIMAL: carne de vaca, porco
ÓLEOS: óleo de milho, óleo de soja, margarina
ADOÇANTES: açúcar branco
CONDIMENTOS: nenhum

Whether you want search materials, then the library can be of helper. http://www.amfastech.com Modern York Time on the engagement listed. and see the divergence yourself.

Dieta para Pitta: moderada, fria e um pouco seca

Alimentos que devem ser priorizados
Sabores: amargo, adocicado e adstringente

1.Frutas- as melhores são as maduras e adocicadas: cereja, amora, tâmara, uva, laranja lima, passas, pera, figo, melão, manga, melancia, ameixa, coco, maçã e abacate
2.Vegetais- os melhores são adocicados e amargos: aspargos, beterraba, brócolis, alface, cenoura, couve flor, cogumelos, brotos, batatas, aipo, abóbora, espinafre, pepino, bardana, saladas, azeitona,
3.Cereais- quinoa, aveia, granola, arroz branco e basmati, trigo e cevada
4.Leguminosas- feijões com condimentos, soja, tofu e tempe
5.Laticínios-ghee, queijo branco, leite orgânico e manteiga sem sal
6.Produtos de origem animal- peixe de água doce, frango orgânico e peito de peru
7.Condimentos- cominho, coentro, hortelã, salsa, cebolinha, sal de rocha, louro, açafrão
8.Oleaginosas- coco, amêndoas ( moderadamente)
9.Óleos- ghee, girassol, canola e azeite de oliva
10.Bebidas- leite de arroz e amêndoa, suco de frutas indicadas, leite de soja
11.Adoçantes- mel ( moderadamente), açúcar mascavo, estévia, agave, sucralose
12.Chá de ervas- camomila, dente de leão, hortelã, erva doce, neem, carqueja e capim limão

Alimentos que devem ser evitados: quentes e oleosos
Sabores que devem ser evitados: picante, ácido e salgado

1.Frutas- as ácidas devem ser evitadas: banana, maça ácida, morango, limão, laranja, mamão, pêssego, abacaxi, pêssego e grapefruit
2.Vegetais- beri njela, espinafre, tomate, rabanete e mostarda
3.Cereais- milho, centeio, arroz integral, painço, trigo sarraceno
4.Leguminosas- misso, shoyu,
5.Laticínios- manteiga com sal, buttermilk, yogurte, queijo amarelo
6.Produtos de origem animal- carnes vermelhas, ovos, peixe e frutos do mar
7.Condimentos- pimentas, alho, gengibre, noz moscada, orégano, tomilho, cravo
8.Oleaginosas- evite as oleaginosas ou utilize com muita moderação pois são quentes
9.Óleos- milho, gergelim, amêndoa
10.Bebidas- evitar bebidas energéticas: café, álcool, chocolate, mate, sucos ácidos, chá preto e verde
11.Adoçantes- açúcar branco, mel, rapadura (em excesso)

ALIMENTOS A SEREM PRIORIZADOS
FRUTAS: maçã, pêra, caqui, romã, melão e frutas secas
VEGETAIS: batata, salsa, espinafre, couve-flor, cenoura, cogumelo, beterraba, aspargos, alface, nabo, agrião, brotos, brócolis, aipo, repolho
CEREAIS E FEIJÕES: Milho, centeio, trigo sarraceno, tofu, feijões, ervilhas, lentilhas.
OLEAGINOSAS E SEMENTES: semente de girassol, semente de abóbora
ÓLEOS: óleo de mostarda, óleo de milho, óleo de girassol
LATICINIOS: leite de soja
ALIMENTOS DE ORIGEM ANIMAL: frango, peru, peixes de água doce (truta, surubim, pintado, tucunaré…)
ADOÇANTES: mel (moderadamente)
CONDIMENTOS: noz moscada, hortelã, erva doce, canela, coentro, cominho, assafétida, feno grego, gengibre, pimenta do reino, mostarda, raiz forte, alho, açafrão, cravo, cardamomo

ALIMENTOS A SEREM EVITADOS OU REDUZIDOS
FRUTAS: banana, figo, manga, morango, abacaxi, limão, melancia, maracujá, kiwi, abacate
VEGETAIS: tomate, beringela, abóbora, quiabo, algas, pepino, batata doce
CEREAIS E FEIJÕES: arroz, aveia, trigo
OLEAGINOSAS E SEMENTES: gergelim, côco, amêndoas, nozes, amendoim, avelã
ÓLEOS: óleo de soja, ghee (manteiga clarificada), óleo de gergelim, azeite de oliva
LATICÍNIOS: ghee, iogurte, leite de vaca, queijo, sorvete e manteiga.
ALIMENTOS DE ORIGEM ANIMAL: peixes de água salgada, ovos, porco, carne de vaca
ADOÇANTES: açúcar, melado e frutose
CONDIMENTOS: nenhum