A civilização na Índia é muito antiga, estudos recentes colocam as primeiras cidades no sub-continente indiano em 3200 a C., a chamada civilização do vale do Indu que desapareceu em 1900 a C.. Seguiu-se a tradição dos Vedas onde a medicina tinha uma abordagem mágico-religiosa, ou seja, as doenças estavam relacionadas ao sobrenatural e a cura viria de rituais e oferendas aos deuses. O Atarva Veda é o livro dos Vedas relacionado a saúde e medicina, basicamente é um ritual de magia, a tradição coloca o Ayurveda como um derivado do Atharva Veda.
Os primeiros textos de Ayurveda surgiram em torno de 1000 a 1500 a C., muitos se perderam ou foram destruídos nestes mais de 3000 anos de história, mas três importantes livros daquela época chegaram aos nossos dias: Kashyapa Samhita, representa a escola de ginecologia e pediatria, Caraka Samhita, representa a escola de medicina interna e Susruta Samhita que representa a escola de cirurgia.

Alem destes temos 2 importantes livros que foram escritos em torno do século VI e VII por um autor budista chamado Vaghbata: Ashtanga Sangraha e Ashtanga Hrdaya são compilações de todo o conhecimento, até aquela época, do Ayurveda no sub-continente indiano. Estes dois compêndios são muito importantes pois citam outros tratados que não chegaram íntegros aos nossos dias.
Este período é conhecido como idade de ouro da Medina Ayurvedica e terminou quando os invasores muçulmanos tomaram o norte da índia a partir do século X e XI. Os invasores mataram muitos budistas e destruíram grandes centros de conhecimento e queimaram suas bibliotecas. Muitos fugiram para o Nepal e Tibete levando alguns textos que somente sobreviveram nestes países.

Posteriormente ao final da idade média ( século XV), com a invasão de portugueses e ingleses o Ayurveda teve um outro período de declinio. No século XVIII e XIX os invasores britânicos proibiram o ensino do Ayurveda e a tradição recebeu outro choque pois os ocidentais divulgaram as idéias de que a medicina da Europa era mais avançada e científica sendo então mais eficiente que a Medicina Ayurvedica.
No inicio do século XX com o movimento nacionalista indiano que culminou com a expulsão dos britânicos, em 1947, houve em uma volta pela tradição da própria Índia e o retorno do estudo do Ayurveda. Muitas faculdades foram fundadas no século XX para formar médicos Ayurvédicos, o chamado BAMS ou Bacharel em Ayuvedic Medicine and Surgery, curso de graduação que dura cinco anos e meio. Atualmente existem cerca de 200 instituições que formaram 450 mil médicos registrados em Ayurveda na Índia do século XXI

Alem da graduação existem os cursos de pós-graduação, ou medical doctor em Ayurveda, onde o médico faz 3 anos de especialização dentro de uma faculdade registrada pelo governo da Índia. Após a especialização o profissional pode desenvolver uma tese de doutorado ou PHD que dura 2 anos. Uma formação completa em Ayurveda, na Índia moderna, com graduação, pós-graduação e doutorado leva em torno de 11 anos de estudos em uma faculdade.

O Ayurveda é uma racionalidade médica reconhecida pelo governo da Índia, porem existem ainda outros sistemas: Alopatia ou medicina ocidental, Unani ( medicina dos muçulmanos que vem de Hipócrates), medicina dos Siddhas ( medicina que é prevalente no sul da Índia da tradição dos Siddhas), Homeopatia ( introduzida na Índia pelos ingleses), Naturopatia ( medicina natural), e yogaterapia ( utiliza as técnicas de yoga para tratar as patologias).
Todas estes sistemas de medicina são oferecidos a população através de clínicas e hospitais financiados pelo governo da Índia. Quando estive frequentando o hospital-escola da Gujarat Ayurved University pude acompanhar o atendimento gratuito de muitos pacientes, crianças, adultos e idosos e observar como eles recebem gratuitamente os medicamentos ayurvedicos, feitos na própria universidade, localizada na cidade de Jamnagar, estado de Gujarat, noroeste da Índia. Nesta grande universidade de Medicina Ayurvedica muitas pesquisas estão sendo realizadas para o desenvolvimento e promoção deste sistema médico com o objetivo de demonstrar, que apesar do grande desenvolvimento da ciência moderna, existe espaço para uma tradição que possui milhares de anos de experiência clínica.

Aderson Moreira da Rocha

Médico de família, reumatologista, acupunturista e especialista em Ayurveda pelo Arya Vaidya Phramacy, tradicional escola de Ayurveda do sul da Índia. Mestre e doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ, presidente da Associação Brasileira de Ayurveda e autor do livro “ A Tradição do Ayurveda” pela editora Águia Dourada.

Últimos posts por Aderson Moreira da Rocha (exibir todos)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *