Paramahansa Yogananda na sua “Autobiografía de Um Iogue” define os Vedas de acordo com a visão de um monge hindu:

“ O hino Sama é um dos quatro Vedas, os outros três são: o Rig, o Yajur e o Atarva. Os textos sagrados expõem a natureza de Brahma, Deus o criador, cuja expressão em cada homem denomina-se atma ou alma. A raiz verbal de Brahma é brih “expandir”, que encerra o conceito védico do divino poder de crescimento espontâneo ou da irrupção em atividade criadora.O cosmo, como a teia de aranha, diz-se que evolve para fora do ser divino. Tudo que importa nos Vedas é a fusão consciente de atma com Brahma, da alma com o Espírito. Na imensa literatura da Índia, os Vedas ( raiz vid, conhecer) são os únicos textos aos quais não se atribui autor. O Rig Veda assinala uma origem divina para os hinos e nos informa que eles são a herança de antiqüíssimos tempos revertidos de linguagem nova. Diz-se que os Vedas, revelações divinas feitas aos rishis ou videntes, através das eras possuem nityatva , “finalidade intemporal”.” ( Yogananda, 1981:265)

Os Vedas são a raiz de toda a filosofia indiana, a partir dos quatro Vedas surgiram várias escolas filosóficas, muitas inclusive contraditórias, porém todas elas foram influenciadas em maior ou menor grau pelo pensamento védico. Interessante observar a afirmação de Zimmer sobre a filosofia e a mitologia hindu:

“ A filosofia hindu ortodoxa surgiu da antiga religião ária dos Vedas. Originalmente o panteão védico, com sua hoste de deuses, representava o universo onde se projetavam as experiências e idéias do homem sobre si mesmo. As características humanas do nascimento, crescimento e morte e o processo de geração eram projetadas sobre o acontecer cósmico. As luzes do céu, os variados aspectos das nuvens e das tempestades, das florestas, das cadeias de montanhas e dos cursos dos rios, as propriedades do solo e os mistérios do mundo subterrâneo eram entendidos e tratados com referencia as vidas e relações dos deuses, os quais por sua vez refletiam o mundo humano. Estes deuses eram super-homens dotados de poderes cósmicos, e podiam ser convidados a participar de uma festa através de oblações. Eram invocados, adulados, propiciados e comprazidos.” (Zimmer, 1986: 238)

O período de compilação dos Vedas é motivo de eterna controvérsia, com diferenças estarrecedoras de milhares de anos. Sobre as datas exatas da civilização indiana e os possíveis equívocos dos diversos autores Svoboda afirmou:

“ Ninguém sabe exatamente quando a civilização se desenvolveu na Índia; todas as datas são arbitrárias ate a época de Gautama Buddha ( 563 a 483 A C)” (Svoboda, 1992:9)

O Professor Max Muller eminente erudito alemão de Oxford em seu trabalho “Os Seis Sistemas de Filosofia Indiana”, publicado em 1900, afirmou:

“ De qualquer maneira que os Vedas possam ser chamados, eles são para nós únicos e guias sem preço em abrir perante nossos olhos tumbas de pensamentos mais ricos em relíquias que as tumbas reais do Egito e mais antigos e primitivos em pensamento do que os mais antigos hinos da Babilônia ou dos poetas acadianos.Se nós garantirmos que eles pertencem ao segundo milênio anterior a nossa era nós estaremos, provavelmente, em solo seguro, entretanto nós não devemos esquecer que esta é somente uma data construtiva e tal data não se torna verdadeira pela mera repetição.” ( Muller, em Feuerstein, Kak e Frawley, 1999: 106)

Confrontando a afirmação de Max Muller com observações astronômicas que são citadas no Rig Veda, considerado o mais antigo dos quatro Vedas, podemos observar como os autores e pesquisadores discordam com relação as datas da era védica:

“ As referencias astronômicas do Rig Veda foram avaliadas pela primeira vez por Bal Gangadhar Tilak, um elogiado erudito e político da Índia do final do século XIX. Entretanto sua visão foi sumariamente desvalorizada pela maioria dos outros pesquisadores. O fato que o Rig Veda menciona uma configuração estelar que corresponde ao período de 6000 a 7000 A C , a era astronômica Ashvini, não deve ser meramente negada mas adequadamente explicada.”( Feuerstein, Kak & Frawley, 1999;107)

Os Vedas são, considerados dentro da tradição hindu, hinos religiosos que são a fonte das principais filosofias indianas. A Medicina Védica é encontrada em dois dos quatro Ve-
das: o Rig Veda e o Atharva Veda. At The Copa by Betsoft

Aderson Moreira da Rocha

Médico de família, reumatologista, acupunturista e especialista em Ayurveda pelo Arya Vaidya Phramacy, tradicional escola de Ayurveda do sul da Índia. Mestre e doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ, presidente da Associação Brasileira de Ayurveda e autor do livro “ A Tradição do Ayurveda” pela editora Águia Dourada.

Últimos posts por Aderson Moreira da Rocha (exibir todos)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *